Posts tagged ‘Paulo Costa Lima’

janeiro 2, 2012

Ibejis n. 2

Confiram a obra Ibejis n. 2, de Paulo Costa Lima, na Reitoria da UFBA, com Flavio Hamaoka (flauta) e Gueber Santos (clarineta) – como parte do Projeto Camará (Coord: Paulo Rios Filho) voltado para experimentação de novos formatos de resistência e difusão da música contemporânea brasileira.

Anúncios
abril 26, 2011

O Grupo Composição e Cultura

Paulo Costa Lima

O Grupo ‘Composição e Cultura’, liderado pelos Professores Paulo Costa Lima e Ângelo Castro fez apresentação no Fórum da Pós-Graduação em Música da UFBA, dia 19 de abril de 2011, em torno dos projetos de Guilherme Bertissolo (música e movimento /composição e capoeira) , Pedro Amorim (composição e jogo), Alex Pochat (música falada), Fred Dantas (papel social e composicional das filarmõnicas baianas), Pedro Augusto Dias (centricidade) e Paulo Rios Filho (hibridação).

Guilherme Bertissolo

Fórum do PPGMUS 19.04.2011

Pedro Amorim

Pedro Augusto Dias

Paulo Rios Filho

Alex Pochat

Fred Dantas

O Grupo foi criado em 2002 tomando como ponto de partida um documento de ‘visão’ assinado por Ernst Widmer em 1976, sobre uma nova relação com a produção autóctone, e trabalha hoje em torno de três linhas principais: 1) Composição e cultura: concepções, modelos e limites; 2) Pedagogias do compor; 3) Música popular brasileira: incursões analíticas.

(mais informações: consulte página do CNPq)

abril 21, 2011

Entrevista;

Entrevista com Paulo Costa Lima a Joalva Moraes, para a TV Anísio Teixeira sobre ‘mestres populares da cultura’, para o documentário ‘Cacau do Pandeiro’. 20.04.2011, na EMUS-UFBA sala 204.

Para conferir a entrevista clique aqui.




março 30, 2011

Notas entre popular e erudito

Confiram a crônica “Notas entre popular e erudito”, de Paulo Costa Lima, que faz uma abordagem sobre a música popular e erudita na cultura brasileira.

agosto 22, 2009

Conserte-se

conserte-se

O que é o Conserte-se? Trata-se da gravação de cinco peças, compostas por compositores baianos, para distribuição via internet. Os compositores são os fundadores do grupo de música contemporânea OCA – Oficina de Composição. Agora, Alex Pochat, Joélio Santos, Paulo Costa Lima, Paulo Rios Filho e Túlio Augusto, grupo transformado em pessoa jurídica homônima, a Associação Civil Oficina de Composição Agora, gerida por três destes compositores, desde 2006.

Ouça aqui a canção Yêlelá Twendê (Paulo Costa Lima).

O projeto – que foi contemplado pelo Edital de Criação de Conteúdo Digital em Música 2008, da FUNCEB – Fundação Cultural do Estado da Bahia, sendo assim patrocinado pela Secretaria de Cultura do Estado, através do Fundo de Cultura da Bahia -, conta com a participação de quase trinta músicos, sendo seis convidados de outros estados (como São Paulo e Goiás), e tem a regência do Maestro Paulo Novais.

Comentário de Jack Fortner sobre o projeto Conserte-se!:

“Paulo Filho Rios emailed me about the composers’ website and the virtual album “Conserte-se” and his piece that is included.  I also listened to your piece “Yelelá Twendé” and was very impressed!!  It is a piece I would like to do someday, if I ever have the opportunity.  Congratulations on a beautiful creation!!! I loved the vocal parts.”

Instituições que apóiam o “Conserte-se!”: Escola de Música da UFBA, Associação Civil Oficina de Composição Agora, Museu de Arte Sacra e Pousada Âmbar.

junho 27, 2009

Aboio Opus 65 em Marselha

Com mais de 80 obras e cerca de 300 execuções destas em mais de 15 países, o compositor e pesquisador Paulo Costa Lima já participou de grandes festivais de música nacionais e internacionais.

Dessa vez, seu  Aboio Opus 65 foi executado pela flautista Andrea Ernest Dias no Festival Les Musiques em Marselha, França.

Segue, na revista abaixo, a programação do festival:

Clique na imagem para visualizar a revista

Clique na imagem para visualizar a revista

Andrea_Ernest

Andrea Ernest Dias

Ouça outras composições de Paulo Costa Lima

junho 2, 2009

Ponteio-Estudo para Piano Solo

eduardo_martins_foto

O Ponteio-Estudo foi escrito especialmente para o grande pianista brasileiro José Eduardo Martins, em 1992, e explora a percussividade do piano, a possibilidade de construção de fluxos rítmicos que através de gestos descendentes e ascendentes dão origem a um desenho formal – sempre investindo na lógica de figurações motívicas, e de ambientes sonoros constrastantes entre quintas perfeitas e sétimas maiores. O resto é só ouvir…

Clique aqui para ouvir

abril 1, 2009

Conheça o Kyrie de Nanã

Kyrie de Nanã trata-se de uma peça afro-renascentista – ou seja, uma peça que combina escolhas musicais desses dois universos, aparentemente remotos, e que brinca com a existência de um ambiente sonoro bivalente onde Deus é homem e mulher, ocidental e africano, senhor/senhora do êxtase e da lógica. A peça é executada pelo Coronlaine sob a regência do Maestro Cícero Alves Filho.

CLIQUE AQUI para escutar.